Publicado por: Fernando de Oliveira | 11/02/2015

Inadimplência atinge o menor patamar para meses de janeiro

Como venho dizendo, tirando a fartura de água, energia e calor, a crise é grave!

 

EndividadoAlta  foi  de  3,12%, a menor para  o mês.  Para especialistas, baixo  crescimento combinado com   freada na tomada de  crédito estão reduzindo a  alta  de  atrasos

A quantidade de consumidores com dívidas em atraso no país aumentou 3,12% em janeiro deste ano em relação a janeiro do ano passado, de acordo com dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Este é o menor resultado já registrado para o mês de janeiro, de acordo com a série histórica do indicador de inadimplência, que tem início em janeiro de 2010. Na comparação mensal – em relação a dezembro de 2014 – o número de inadimplentes em janeiro sofreu uma leve alta de 0,15%. O SPC Brasil estima que atualmente existam aproximadamente 54,6 milhões de consumidores registrados em serviços de proteção ao crédito de todo o país.

Para os economistas do SPC, o ritmo de desaceleração da inadimplência observado desde junho de 2014 não encontra como explicação principal uma conjuntura econômica positiva, mas um contexto de fraca atividade econômica combinada com a freada na tomada de empréstimos.

“Os bancos e os estabelecimentos comerciais passaram a ser mais seletivos e a conceder menos crédito ao consumidor, fato que tem como consequência a redução da quantidade de atrasos nas compras parceladas e nos pagamentos de dívidas”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Dessa mesma forma, o recuo das vendas a prazo apresentado pelo comércio tem como principal causa a diminuição da capacidade de comprometimento do brasileiro e o baixo grau de confiança do consumidor, o que consequentemente afasta a possibilidade de avanço de inadimplência para os lojistas. De acordo com o indicador de consultas a prazo do SPC Brasil, a desaceleração nas vendas se repetiu ao longo de todo o ano de 2014 e, em janeiro de 2015, a queda acumulada já era de 0,52%.

Na avaliação do presidente da CNDL, Honório Pinheiro, as vendas no varejo ampliado também vêm caindo, principalmente a dos setores ligados ao crédito como materiais de construção e automóveis. “Quer dizer: a inadimplência está desacelerando principalmente porque o consumidor está deixando de consumir a prazo”, explica Pinheiro.

Média de duas dívidas por inadimplente

Da mesma forma como ocorreu com a quantidade de pessoas inadimplentes, o mês de janeiro manteve a perda de fôlego também em relação ao crescimento da quantidade de dívidas em atraso, fazendo com que o indicador registrasse uma alta de 2,40%, em relação a janeiro do ano passado. Em dezembro de 2014, seguindo a mesma base de comparação, o crescimento havia sido de 3,19%.

Com bases nesses dados, o SPC Brasil calcula uma média de 2,07 dívidas para cada devedor inadimplente. Esta média é a menor já registrada pela série histórica, iniciada em 2010.

Cresce inadimplência nos setores de água, luz e comunicação

Com relação aos setores detentores da dívida, o segmento que mais registrou crescimento na quantidade de calotes foi o das concessionárias de água e luz (8,35%) e das empresas de comunicação (9,84%), que oferecem serviços como os de telefonia, tevê a cabo e internet. Destaca-se, ainda, a retração de 0,54% do número de dívidas ligadas ao comércio, a terceira queda anual consecutiva do setor, após dez meses seguidos de alta.

Fonte: SPC


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: