Publicado por: Fernando de Oliveira | 13/07/2013

Hoje é dia de Rock, bebê

rock-starsNeste sábado, comemora-se o Dia Mundial do Rock, que, curiosamente, é muito mais lembrado no Brasil do que em qualquer outro país do mundo. São vários os shows programados para reverenciar o mais contestador dos ritmos.

A ideia de criar uma data para o rock aconteceu depois da realização do Live Aid (1985), o megaconcerto idealizado pelo músico irlandês Bob Geldof para ajudar a população da Etiópia. Apesar de não ter sido o primeiro concerto a reunir grandes estrelas em prol de uma causa humanista, a grandiosidade do Live Aid – que reuniu nomes como The Who, Status Quo, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Mick Jagger, Sting, Scorpions, U2, Paul McCartney, Phil Collins, Eric Clapton e Black Sabbath, entre outros – transformou os padrões dos festivais de rock, como o Rock in Rio, realizado no mesmo ano.

De Bill Haley aos Beatles, passando por Elvis e a invasão inglesa

The BeatlesÉ difícil descobrir quem é o verdadeiro pai do rock, mas convencionou-se que o americano Bill Halley – intérprete de clássicos como Rock Around the Clock, See You Later, Alligator e Shake, Rattle and Roll – foi o primeiro artista do gênero, com o lançamento, em 1953, de Rock Around the Clock. Mas, se a paternidade do rock também é disputada por nomes como Little Richard e Chuck Berry, o trono de Rei do Rock tem um único e incontestável dono: Elvis Presley (1935-1977).

Elvis causou impacto em todo o mundo, com seu estilo de dança sugestivamente erótico e uma série de sucessos que consolidaram o ritmo, considerado por muitos, à época, coisa do diabo! That’s All Right, Blue Moon of Kentucky e Heartbreak Hotel, entre muitas outras, foram o combustível para uma revolução que aconteceria em uma ilha do outro lado do Atlântico.

A “invasão inglesa”, liderada pelos Beatles, acabou transformando o rock em arte e trazendo novos elementos para o gênero que se mostrou ser muito mais que uma moda passageira. Com eles vieram nomes como The Who, The Rolling Stones, Cream, Led Zeppelin e até mesmo um certo guitarrista chamado Jimi Hendrix.

Hoje, talvez os maiores nomes do rock sejam veteranos, pois, como acontece com todas as coisas, há sempre um momento de entressafra. Entretanto, há sempre bons valores munidos de guitarras para perpetuar a “espécie”.

Mais que um ritmo

Elvis Presley“Pra mim, o rock significa um compromisso com a música e a atitude. Eu sempre fui pelo lado que engloba o rock de uma maneira plural e com compromisso com o conceito da obra como um todo, que ia de Raul Seixas a Crosby, Stills, Nash & Young. Mais do que as levadas do Led Zeppellin, eu gostava das letras e melodias de Bob Dylan ou John Lennon. Mas, no final, tudo se convergia a Beatles e Rolling Stones (risos). Vivo e respiro rock até hoje, não o heavy metal ou o rock progressivo, mas o rock inglês de suingue, levadas, letras boas e melodias precisas”, diz Rodrigo Santos, baixista do Barão Vermelho.

E, pelo jeito, nada mais em conexão com a situação atual do País do que o bom e velho rock.
“O rock é contestação. Ele é o tipo de música que sempre permite questionar o caminho que estamos tomando. O rock sempre esteve ligado aos momentos de mudança, como um elemento de não aceitar um caminho imposto por alguém”, explica Bruno Gouveia, vocalista da banda Biquíni Cavadão.

Para ouvir, dançar, cantar e se divertir

Para comemorar o 13 de julho, alguns palcos de Niterói e do Rio de Janeiro estão em ritmo “rock´n´roll”, com uma programação toda voltada ao gênero, pra fã nenhum botar defeito.

A Fundição Progresso promove o festival Pop Rock Brasil, que reúne ícones do rock nacional como os Paralamas do Sucesso, Biquíni Cavadão e Plebe Rude.

Rolling Stones 60sOutra boa opção é o Bar do Meio, em Piratininga, onde as bandas Mustang´65 e Analfa se apresentarão a partir das 22 horas.

E, finalmente, há a opção da festa pelo Dia Mundial do Rock no Bar Convés, no Gragoatá, que contará apenas com apresentações de bandas da cidade – Mírah, Madc, Os Clodoaldos, The Fraktal, Nardones Horrorpunke. Nos intervalos, o som fica por conta da Maldita 3.0, que vai tocar clássicos do gênero.

Roteiro no Rio e em Niterói para roqueiro nenhum botar defeito

POP ROCK BRASIL – Paralamas do Sucesso, BiquÍni Cavadão e Plebe Rude

Local: Fundição Progresso (Rua dos Arcos, 24 – Lapa – Rio de Janeiro)
Informações e venda de ingressos: http://www.fundicaoprogresso.com.br/compreseuingresso
Abertura da casa: 22h
Início do show: 23h
Capacidade: 4.000 pessoas
Tel para informações: (21) 3212-0800
E-mail: contatofundicaoprogresso@gmail.com.br
Classificação etária: 18 anos
Preços: R$ 40 (meia 1° lote pista comum) R$ 80 (meia 1° lote pista premium)

RockStarsFesta pelo Dia Mundial do Rock

Dia 13 de julho de 2013 a partir das 21h
Shows a partir das 22h com Mírah, Mad´C, Os Clodoaldos, Nardones e The Fraktal.
Espaço Convés – Rua Coronel Tamarindo 137 Gragoatá, Niterói. Telefone 3026-6321
Ingressos: R$ 20 (com camiseta de banda paga apenas R$ 10)
Censura 18 anos

Dia do Rock

Atrações: Bandas Mustang´65 e Analfa
O Bar do Meio fica na Av. Almirante Tamandaré nº 810 – Piratininga – Niterói – Rio de Janeiro. Horário: às 22h. Censura: 18 anos. Ingressos – Pista 1º lote – R$ 25 (apresentando carteira de estudante) – Promocional solidário: R$ 30 (apresentando 1 kg de alimento não perecível). Inteira: R$ 50. Preço sujeito a alteração sem aviso prévio.


Ese texto também foi publicado no jornal O Fluminense

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: