Publicado por: Fernando de Oliveira | 02/01/2013

Salários caem nos países desenvolvidos, diz OIT

dedo e dinheiroOs salários caíram (-0,5%) em 2011 nos países desenvolvidos, mas aumentaram nos emergentes, especialmente nos da Ásia e da América Latina, segundo um relatório da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Na Ásia, os salários subiram neste ano 5%, e esta tendência para a alta também foi registrada na América Latina e no Caribe (+2,2%), na África (+2,1%), na Europa central e na Ásia central (+5,2%, em ambos os casos). Já no Oriente Médio, os salários caíram 0,2%.

“Em escala mundial, os salários aumentaram a um ritmo muito mais fraco que antes da crise, e inclusive retrocederam nos países desenvolvidos”, indica a OIT neste relatório, publicado a cada dois anos.
Globalmente, incluindo todos os países, os salários mensais aumentaram 1,2% em 2011, em comparação com a subida de +2,2% em 2010 e de 3% em 2007, segundo este relatório mundial.

Para Guy Ryder, diretor-geral da OIT, “este relatório mostra claramente que em vários países a crise teve um impacto muito claro nos salários e, consequentemente, nos empregados”.

O diretor-geral da OIT também destacou que “os funcionários recebem uma parte menor do bolo”, já que a parte dos salários na receita nacional diminuiu.

Esta situação criou um “descontentamento popular e aumenta o risco de desordens sociais”, acrescenta a OIT, que também denuncia “as remunerações exorbitantes recebidas por alguns diretores de empresas”.

Em 15 países desenvolvidos, a quota do trabalho na receita nacional passou de 75% nos anos 1970 para 65% nos anos recentes.

Por fim, a OIT lança um chamado neste relatório para que sejam fixados salários mínimos, uma medida indispensável para acabar com a pobreza no trabalho.

“Os salários mínimos contribuem para proteger os salários menos remunerados e para prevenir uma queda de seu poder aquisitivo”, declarou Guy Ryder.

Segundo este relatório, “centenas de milhões de empregados nos países em desenvolvimento ganham menos de dois dólares por dia”.

Nos Estados Unidos, os trabalhadores pobres representam 7% da população assalariada, e na Europa 8%.

Fonte: Agência IN


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: